12 Abril 2009

Circulação em Vertebrados: Simples e Dupla

A circulação nos vertebrados é fechada, ou seja, o sangue circula dentro de vasos e órgãos especializados e as artérias e veias estão ligadas por meio de capilares. Porém, em função do seu grau evolutivo, a sua circulação pode ser simples ou dupla, e neste último caso, ainda incompleta ou completa.
A circulação simples ocorre nos peixes e a dupla nos restantes vertebrados. Neste último caso, a circulação dupla incompleta ocorre nos anfíbios e répteis e circulação dupla completa, nas aves e mamíferos.

Circulação simples - Peixes

Nestes animais o sangue efectua um único trajecto, passando uma vez pelo coração sob a forma de sangue venoso.
O coração apresenta duas cavidades: uma aurícula (átrio) e um ventrículo. A aurícula recebe o sangue venoso proveniente de todo o organismo e envia-o para o ventrículo. O ventrículo impulsiona o sangue para as brânquias, onde ocorrem as trocas gasosas. Das brânquias o sangue segue para os tecidos e órgãos, com baixa velocidade e pressão. A chegada de nutrientes e oxigénio às células e a remoção de resíduos é pouco eficiente, uma vez que o sangue flui com baixa velocidade e pressão para as células dos tecidos e órgãos.

Circulação Dupla Incompleta - Anfíbios e Répteis

O sangue percorre dois trajectos distintos (ocorre mistura parcial de sangue venoso com sangue arterial devido há existência de um só ventrículo).
O coração tem três cavidades: duas aurículas e um ventrículo. A aurícula direita recebe o sangue venoso e a esquerda o sangue arterial. O ventrículo recebe sangue venoso e sangue arterial. A circulação pulmonar e a circulação sistémica não são independentes, ocorrendo mistura parcial de sangue venoso e arterial no ventrículo. O sangue, bombeado directamente do coração para os capilares dos diferentes órgãos, chega com maior velocidade e pressão aos tecidos, o que aumenta a eficácia das trocas de materiais com o líquido intersticial. Possui a desvantagem de ocorrer uma mistura parcial dos dois tipos de sangue no ventrículo, o que afecta a concentração de oxigénio no sangue arterial.
Os répteis apresentam um septo incompleto no ventrículo, supondo, uma possível evolução para formação de dois ventrículos, como ocorrem em alguns répteis (crocodilianos), aves e nos mamíferos.

Circulação Dupla Completa - Aves e Mamíferos

Não há mistura de sangue venoso com arterial e o sangue percorre dois caminhos distintos.
O coração tem quatro cavidades : duas aurículas e dois ventrículos. No lado direito do coração circula apenas sangue venoso e no lado esquerdo apenas sangue arterial. A circulação pulmonar e a circulação sistémica são independentes, não ocorrendo misturas de sangue no coração.
Esta circulação garante um maior aporte de oxigénio às células do organismo, o que permite uma maior produção de energia de energia. Este aumento reflecte-se numa maior capacidade de produção de calor corporal, que é distribuído de modo uniforme por todo o organismo, mantendo constante a sua temperatura corporal – animais homeotérmicos. Esta aquisição contribui para uma melhor adaptação destes animais a uma grande variedade de ambientes.
Geocities

1 comentário:

Fernando Brasci (Prof. Nandão) disse...

Muito bom seu blogue. Um dos melhores que ja vi sobre o assunto. Vou adiciona-lo como sugestão em meu blogue. Parabéns.